Na Amálgama dos Mundos

 

“Olá, está vendo aquele cara ali? Então, chamam-no de Khel. Ele é visto no seu mundo como um feiticeiro ou um mago… Hum… é assim que se fala, não é? Não sei muito o que isso significa para você, pois somos aqueles que retornam por muitas eras e viajam pelos mundos.

 

De onde ele vem? Não me lembro muito bem, dizem que é filho das sereias que assentam sobre as rochas dos mares. Já viu alguma? Não?

Elas não têm escamas e nem nascem nas águas dos mares! Isso é uma lenda no seu mundo.

As sereias que lhe deram vida vieram do céu, tinham penas negras e olhos profundos como os abismos escondidos abaixo do tecido azul dos mares. Eu ainda escuto o farfalhar aconchegante daquelas asas. Elas cantavam para enganar os viajantes e afogá-los no mar por puro divertimento.

Essa ideia é um pouco macabra, não é? Mas, bem… Não sou assim… Eu acho… Ao menos ainda não matei ninguém… Ainda…

Você acha que sou macabro?

Não me olhe dessa maneira, não sou tão diferente de você, mesmo que nos últimos anos esteja me transformando em algo… Tenho certo receio… Talvez até como vocês que temem a morte. Ela é apenas uma transformação.

O que está acontecendo comigo? Não há como saber. Tudo o que sei é que no lugar dos meus longos cabelos estão crescendo penas! Sim, escuras como as daquele cara…

Mas… Vamos mudar de assunto? você está muito desconfortável…

Sabia que com essas penas que me veio a ideia de escrever? Inspirei-me nos escrivães que passam horas e horas trabalhando em seus… hum… Mosteiros. Sim! Uso uma uma tinta escura especial.

Betume? Não, essa tinta não vem desse mundo eu não conseguiria te explicar…

Tenho muito para te contar, das mais variadas formas. Inclusive essa sereia que está me falando pode ser verdade, porque não poderia? Afinal eu voei por muitos mundos e por muitas eras, contei histórias para muitos povos enquanto se sentavam ao redor das fogueiras.

Eu, mais que qualquer um aqui, posso dizer que existem muitas versões da verdade acontecendo ao mesmo tempo em diversos lugares simultaneamente. Pode até mesmo ser que existam várias versões do meu ser nesse momento, contando essa mesma história de muitas outras maneiras. Não acredita? Eu posso te provar, se você tiver coragem saberá.

Está vendo aquele cara lá, ele é você e você sou eu. Nós estamos em uma intersecção dos mundos, é algo raro de acontecer, mas acontece.

Não, não encoste em mim! Ufa! Essa foi por pouco.

O problema é que se nos tocarmos, um de nós irá desaparecer, e quando isso acontece o mais velho é engolido pelo mais novo. É o universo das possibilidades, vence aquele com mais entropia… Tá, você não entendeu nada…

Sim, também fiquei apavorado e totalmente deslocado na primeira vez que ouvi isso. Mas bem, foi por isso que estou aqui falando com você. Esse cara está me perseguindo por muitos mundos e eu não sou forte o suficiente para engoli-lo. Mas você sim, você é aquilo que precisamos para sobreviver, é bem novo pois não faz nem uma geração que está vivo. E como agradecimento pela informação, eu espero que deixe me continuar meu caminho. Estamos combinados?

E sabe o melhor? Depois desse processo você conseguirá todos os poderes dele. Sim, você será capaz de fazer muita coisa, mas é claro que você precisa de alguém experiente assim como eu. Posso te ensinar a lidar com esse poder…

Está com medo? Eu sei. Mas é fácil, é só você ir até lá e tocar nele. Você ainda tem pouco cabelo, ele nem irá perceber. Você tem sorte de estar aqui, poderia viver muito tempo e ainda não descobrir tudo do que eu posso te contar.

Está bem, eu espero aqui. Quando retornar eu posso te ensinar muitas coisas… Como as coisas funcionam… Sim, eu te prometo. Mas, vá agora, não temos muito tempo.

Ufa! Ele se foi!

Não quero estar aqui para ver isso! Agora eu tenho passe livre nesse mundo e esse maldito cara não poderá me perseguir por lá! Isso não me faz tão vil quanto minhas mães né? Acho que não, eu apenas quero seguir meu caminho para conhecer os segredos que os mundos escondem. Aprender! Cada vez mais…

Pronto, agora vou cair nesse mundo. Espero que tudo dê certo como sempre. A transição é sempre muito tempestuosa, dolorida… Mas vamos lá! Acho que estou preparado…

Foi mais fácil que pensava. Nem acredito que meu plano deu certo dessa vez, agora só mais alguns minutos de queda e estarei…

O quê? Aquele cara por aqui? Não acredito! Como!? Que maldito feitiço esse cara aprendeu a conjurar? Maldição. Ele está chegando perto, que velocidade! Bem, talvez seja melhor acreditar que esse sempre foi o meu destino, infelizmente esse é o destino que nós pássaros precisamos carregar. Bem, até a próxima vida!

Até mais…

Son’of a Khel